quarta-feira

à mulher de fita no cabelo

que incendeia minha vista
quando já de longe avisa
com seu passo miúdo
sem a pressa atrasada
sem a pressa do mundo
que do outro lado da calçada
com seus brincos brilhantes
com seu salto quase alto
vem passando e avisa
que vem passando e quer ser vista
com seu batom quase vermelho
com a fita no cabelo
pela banca de revista
sem a pressa do dia
sem saber a agonia
de não vê-la caminhando
com seu passo quase mudo
sem a pressa do mundo
no balanço do mar

que vem andando e acena
com sua pele morena
com o batom quase vermelho
e a fita no cabelo

que me dá bom dia
sem saber a alegria
que me dá seu passo mudo
sem a pressa do mundo
no balanço do mar

que volta sempre cansada
pelo mesmo caminho
que nem sempre sozinho
eu queria passar.

14 comentários:

Douglas Thaynã disse...

Perfeito.

Vαnєssα Olιvєirα disse...

afinal, um poema poético!

Anna Carla disse...

Amei a musicalidade do poema.

Roberto Borati disse...

arrebentou com essa moça, gostei novamente.

Vinícius disse...

arrebentou, mesmo!

Paju Monteiro disse...

... Eu gostei. A imagino até! Bjão!

Fernanda Amábile disse...

Poético e detalhado, poema pra quase se tocar com a ponta dos dedos,
poema que enche a imaginação.
muito bom.
bjoo

Fernanda Amábile disse...

Poético e detalhado, poema pra quase se tocar com a ponta dos dedos,
poema que enche a imaginação.
muito bom.
bjoo

Guilherme Sakuma disse...

Cacete, eu tô sem palavras. Com esse, cê conseguiu.

Camila P. disse...

daria uma belíssima canção de Chico Buarque... hehe

gostei daqui!

Tainá Holanda disse...

bravo, bravo, bravíssimo! A pouca poesia feita hoje em dia, foi belamente representada aqui.

Stefanie Figueiredo disse...

esses passos surdos
é música alta pros ouvidos

Rick disse...

Muito bonito mesmo. Quase se toca com as mãos, e se imagina passada por passada que ela dá.

Detalhado, porém, simples. Gostei da sua maneira homen. "__"


Abraços, até breve.

Rodrigo Fernando disse...

Ótimo texto... estou seguindo... quando puder passe pelo meu :)

http://sempesemcabecaa.blogspot.com.br/2012/09/o-homem-que-desistiu-de-viver.html