domingo

Hoje

Essa sensação de aneurisma, de vaziez do tempo, de pus, de vertigem, de câncer no pulmão. Esse gosto de choro, de cigarro, de bosta, de saudade na boca. Essa vontade de ver o mar, de implorar salvação, de mandar deus tomar no cu, de enlouquecer. Essa overdose de urgência, de falta, de abandono, de vida. Esse furúnculo, esse vômito, esse hoje cheio de ontem, essa lama, esse caos. Esse momento, esse agora. Esse hoje.

12 comentários:

Alana Quirino disse...

Gosto da sua maneira de demonstrar as coisas. Sua escrita é ótima. E se estivesse ao seu lado te abraçaria, um abraço faz com que as pessoas se sintam melhor. rs

Hemilly Mares disse...

Vida.

Douglas Thaynã disse...

"Aneurisma" e "furúnculo", está tudo dito. Tudo dito.

Fabiana disse...

Esse desde-de-que-eu-me-lembro.

Anna Carla disse...

Essa repetição com pessimismo me lembrou Príncipe Jacinto; de Eça.
Adoro sua escrita.

Davi disse...

Adorei, as descrições são exatas.

Francisco Jamess disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Blog Na Onda disse...

Querer mandar o criador tomar no c# e sentir gosto de bosta na boca é concerteza o momento exato que se percebe que mundo é algumas vezes é uma overdose de chatice!

Camila P. disse...

puta merda, perfeito!

Francisco Jamess disse...

o dia cu mais bem descrito que já vi.

ladrilhodissoluto disse...

O gigante acordou.
e eu fico muito feliz.

o glorioso retorno de quem nunca partiu.

Carolline Figueiredo disse...

Magnífico! Amei.